quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Não é fácil

Viver com alguém em dieta. Juntar as suas esquisitices alimentares às novas restrições. Além disso eu tenho os meus próprios requisitos, tendo passado por uma cirurgia de bypass gástrico há menos de 2 anos. Depois existe aquele mágico conceito que é respeitar o orçamento familiar, o que cá em casa cria alguma frustração. Assim durante as férias tivemos este cenário - a minha cunhada trouxe dos sogros peras, batatas e pepinos, que dividiu comigo. Ora na primeira semana só eu e a sobrinha é que comemos as peras na praia porque Sr Fofinho gosta de maçã em vez de pera. Os pepinos e as batatas foram para o Algarve e voltaram de lá por consumir. Assim que regressei e fui às compras e trouxe pernas de frango para assar no forno, porque estavam em promoção e podia usar as batatas, e depois aconteceu isto:

Sr Fofinho - não como pernas de frango no forno porque são muito grandes. Só gosto de frangos pequenos como os da Guia.

a cozinheira desesperada - então e o que faço às pernas de frango? E às batatas? Não comes fritas por causa da dieta, cozidas ao jantar não queres, puré só gostas instantâneo... 

Sr Fofinho - podes usar umas pernas de frango para desfiar e fazer uma salada para mim. Quanto às batatas não sei.

a cozinheira desesperada - humm e se fizesse no forno, eu jantava frango com batatas, fazia salada para ti e no dia seguinte desfiava o resto do frango e fazia frango à brás? Gastava o resto das batatas e todo o frango!

Sr Fofinho - Yeh frango à brás!

Resumo da história - quando é uma comida que ele gosta, marcha tudo e já não importa se está de dieta ou não. Eu é que tive o dobro do trabalho e imaginar como me ia livrar das batatas que não comprei e do frango que de repente se tornou gigante. Mais uns anos disto e acabo assim...


terça-feira, 22 de agosto de 2017

Não há um que se safe

Podemos gostar mais ou menos da Cristina Ferreira. Mas uma coisa é certa - tal como lhe reconheço o mérito em ser empreendedora, também reconheço o mau gosto que tem para sapatos. Então os das colecções que cria, não lembram nem ao menino jesus!



segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Um bom mote de vida

Na primeira segunda feira depois das férias...


domingo, 20 de agosto de 2017

Lá porque as férias terminaram

Não quer dizer que os dias ao sol também. Por aqui estamos assim...


sábado, 19 de agosto de 2017

Falta 1 semana

Para o casamento do ano. Mais de 200 pessoas num casamento em Valença durante o mês de Agosto. As expectativas estão muito altas, visto que a noiva já avisou que só vai gente "queque", logo eu que gosto mais de bolo de arroz... Piadas à parte já avisei Sr Fofinho para preparar a família, porque eu estou num campeonato que eles nem sabem que existe. Enfim... a sorte é que grávida nunca ofusca a noiva...


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Um bebé que gosta de férias

Não sei se férias no geral ou em particular no Algarve, mas lá que esteve lindamente isso esteve. Foi em terras algarvias que deu o seu primeiro pontapé na barriga da mãe ás 19 semanas e 6 dias. Foi no pingo doce de Faro que pela primeira vez um estranho me reconheceu como grávida. A verdade é que estando quase a chegar aos 6 meses de gestação, quem não me conhece, também não me identifica como grávida, porque a barriga mal se nota. De resto o descanso fez muito bem à mãe e ao bebé e crescemos os dois. Até já começo a acreditar que vou ter um bebé de tamanho normal em vez de nascer pequenino.


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Será da gravidez?

Sempre fui uma mulher exuberante, mas com alguns limites. Entretanto os meus olhinhos bateram nestes ténis da nova coração da Zara e o meu coração palpitou... Será só culpa das hormonas? Ou vou ser uma mãe extravagante?



quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Praia da Manta Rota ou...




A barbárie do mês de Agosto. Nada me preparou para a quantidade de seres fantásticos que encontrei nas areias da Manta Rota em Agosto. Eu estava habituada a esta ir a esta praia com os meus pais no final de Setembro e era muito sossegada.
Nos últimos 5 anos temos feito praia em Almancil e ali apanhamos as elites da quinta do lago, praia do ancão, garrão e vale de lobo. Já nos habituamos ao parque de estacionamento de luxo dessas praias, ao café por 1 euro e meio e as carradas de famílias com filhos em escadinha, mais as primas e as tias com as sobrinhas, todas com fatos de banho a condizer, correntes de prata ao pescoço com uma medalha religiosa e outra com a inicial do nome, sendo que todas se chamam, carminhos, rosarinhos teresinhas, marianas ou purezas. É um género que ou se gosta mais ou menos, mas que não chateiam ninguém. São gente pedante mas educada e que não incomoda nenhuma outra família na praia. Eis se não quando, no último fds de férias, Sr Fofinho me diz - eu não conheço a Manta Rota. Tu ias lá tanto com os teus pais que me podias mostrar como aquilo é. Vamos num domingo que se calhar apanhamos menos gente, com a troca da quinzena de férias. 40 km depois chegamos a um reino fantástico. É que eu também não fazia ideia do que é a Manta Rota em Agosto. Foi fácil estacionar pela hora a que chegamos e porque tivemos sorte. Mas quando chegamos à praia, já havia muita gente no areal e de cada vez que voltávamos da água estava mais gente, ao ponto de ter toalhas estendidas a 20 centímetros da minha. Logo eu que detesto gente a invadir o meu espaço! Houve uma altura em que olhei em volta e me senti como um descobridor que chega ao reino do Prestes João e vê tantos seres fantásticos pela primeira vez. A qualquer momento podia surgir dali um ciclope ou um ciápodes. Eram crianças aos ginchos a arrastar boias e barcos por todos os lados.Gente feia, torta, mal feita, com banhas e calos nos sítios mais improváveis, biquínis que faziam saltar carnes por todos os lados e pelos onde não deviam estar. Eram pais que comiam frango assado e limpavam as mãos aos calções, gente que escarrava para a areia, arrotava alto e dava puns. Tudo a 50 metros uns dos outros. Não era uma praia, era um acampamento de selvagens! E é nestas alturas em que eu penso como um novo surto de peste negra fazia falta em certos sítios....

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Quando regressas de férias...


E descobres que as gatas redecoraram a casa!

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Viana Do Castelo

 

 
Viana do Castelo tem mar, tem porto, tem praia e cheiro a maresia.







 

Tem um centro histórico que é um mimo.







Tem o Santuário de Santa Luzia com uma vista fabulosa em um percurso muito engraçado feito em funicular.






 


E tem um dos locais mais espectaculares para cometer o pecado da gula - as bolas de berlim da Confeitaria Natário.



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Não fosse eu caranguejo

É que não poderia concordar mais!


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Mini baby - a mamã vai falar contigo

Um dia vais descobrir que todos dizem que a mamã tem qualquer coisa de feiticeira. Não importa se vais acreditar ou não. Nesta fase em que ninguém sabe quem tu vais ser o meu feeling diz que serás um rapaz. Também diz que podes nascer nos dias 19 27 ou 4. Agora o mais importante - estás terminantemente proibido de nascer sagitário. E habitua-te já a esta frase porque a vais ouvir muitas vezes ao longo da vida. Na verdade eu gostava que fosses escorpião, mas isso significava que terias que nascer bem antes do tempo e a mamã só quer o melhor para ti, por isso espero para que nasças um bebé dentro do termo o que significa que serás capricórnio. Não fiques a pensar que detesto sagitários. O teu avó era sagitário e foi o melhor pai que poderia ter. O teu pai também é sagitário e se ele fizer metade do que o meu fez, já ficas bem. Mas a verdade é que a mamã não tem disponibilidade mental para viver com dois homens sagitários. Tu entendes... e nós vamos conversar muito sobre o assunto, para que não caias nessa tentação.


quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Tradições

Quando fazemos férias de verão no mesmo sítio 5 anos seguidos vao surgindo algumas rotinas e tradições.  Para mim uma delas é bem doce. .. fatia de red velvet da pastelaria trigo dourado!

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Maluma - Felices los 4 (Official Video)




Ainda dizem que os latinos são ciumentos...


segunda-feira, 31 de julho de 2017

domingo, 30 de julho de 2017

A caminho da praia do Ancão

E hoje começam as férias algarvias. Aquelas que todos os anos digo que não quero, mas preciso. este ano tenho mesmo a certeza que preciso delas, mais não seja por indicação médica. Ainda assim continuo sem ter a certeza se as quero.


sábado, 29 de julho de 2017

Dizer não

é difícil, principalmente para mim que detesto entrar numa guerra. E além de dizer que não, passar a dizer - eu primeiro ainda parece ser uma coisa pior. A verdade é que passa a ser absolutamente necessário quando uma mulher está grávida. Porque aquele - primeiro eu que nunca se disse, na realidade agora passou a ser um primeiro nós (eu e o bebé). O bem estar do bebé depende do da mãe e passa a ser completamente natural passar a dizer que não àquilo que não se quer fazer e que a época dos sacrifícios e de colocar os outros em primeiro lugar acabou. Claro que entretanto alguém se fica a espumar pelos cantos da casa. E honestamente? Não tou nem aí...


sexta-feira, 28 de julho de 2017

Tal e qual


Aqui em casa somos uma carangueja com um sagitário e posso confirmar que as reacções estão certas. De outros signos que conheço bem, também posso corroborar com esta ideia para carneiro, leão e virgem.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Parece que é mais ou menos isto

Já tinha uma teoria para as mulheres mono e as mães mono. Agora que estou grávida tenho outra teoria sobre as grávidas mono. Juro que se um dia tirar um mestrado, me debruço sobre este fenómeno.
Na verdade nunca me senti tão desenquadrada como agora. Quando tinha excesso de peso e não me vestia ou produzia como gostaria de o fazer, também não me sentia posta de parte. E verdade seja dita nem com 115 kg tive problemas de auto estima. Agora que estou grávida e entro numa sala de espera da maternidade, do centro de saúde ou de um qualquer consultório, as outras grávidas olham para mim como se eu fosse uma intrusa, como se não pertencesse ali. Fosse eu outra pessoa quase me sentiria coagida a pedir desculpa por continuar magra. Por usar vestidos curtos e saltos altos. Por ter a depilação em dia, sobrancelhas arranjadas, unhas pintadas. E maquilhagem em dias de 35 graus? Mesmo que seja só um anti olheiras, um pó de sol, máscara e batom? Quase me sinto encaminhada para o pelotão de fuzilamento. Grávida que é grávida quer-se grande, toda ela da barriga aos pés. Precisa de 2 cadeiras. Está cheia de edemas e não vive sem um leque para se abanar, Nesta altura do ano já só sai de casa de chinela no pé e cabelo apanhado. Maquilhagem para quê? Já está tão inchada e cheia de borbulhas que tudo o resto parece inútil. E vivem assim felizes naquele direito consentido de serem desmazeladas, porque alguém lhes disse que estão num estado de graça. Eu que não engorde mais 1kg até à próxima ecografia, que ainda alguém me passa uma rasteira à porta do consultório...

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Do outro lado da generalização

está a nossa realidade. Falo sobre aquele tema que faz comichão a muita gente - etnia cigana. A opinião pública muito indignada porque o candidato à câmara de Loures tocou num ponto sensível. A questão é sensível para quem? Para aqueles que eu encontro na sala de espera da segurança social e remordem entre dentes que metade da sala é constituída por ciganos que vivem à conta do estado? Ou para aqueles que encontro na sala de espera do centro de emprego que quando entra um cigano comentam com o vizinho do lado - lá vem mais um que não quer trabalhar? É que me parece que o povo português tem uma opinião muito bem fundamentada sobre esta situação e que se baseia na sua realidade. Falo eu pela minha realidade então - não conheço pessoalmente alguém da etnia cigana, mas frequentei durante 3 meses um centro de formação onde existia um grande grupo de ciganos que eram obrigados a lá permanecerem para terem acesso ao RSI. Da minha vivência nesse período posso dizer que nunca assisti a uma conversa entre eles sobre dizerem bem da instituição ou pensarem que estar ali fosse uma mais valia para a sua vida. Era mais uma forma de ganhar uns trocos. Esta é a realidade a que assisti e não estou a generalizar, apenas a falar daquilo que vi. Pelo que me pergunto se aquilo que o André Ventura disse é assim tão inconveniente? E se assim for é inconveniente para quem? Para os políticos que não frequentam segurança social, centros de emprego e de formação profissional onde todos os dias nos cruzamos com dezenas de ciganos nesta situação? Quem é que sai verdadeiramente lesado nesta realidade? Bom, e acompanhando o tema polémico posso dizer que se vivesse em Loures, votava neste senhor.


terça-feira, 25 de julho de 2017

O quarto do bebé

O tema já estava decidido há muito tempo - seria a selva. É uma temática que dá para ambos os sexos, e sendo Sr Fofinho sportinguista, o verde e os leões faziam todo o sentido.


A uma dada altura vamos ver materiais para a decoração e começam a aparecer estrelas e a cor cinza...


E foi o suficiente para o deixar baralhado e já não saber bem o que quer. Claro que uma boa decoradora consegue integrar verde cinza e branco no mesmo quarto. Animais e estrelas, até nuvens se for preciso. É só ele ter um bocadinho de confiança em mim e entender que cada um tem a sua área. Ele sabe de futebol, eu sei de decoração. Simples não é?

segunda-feira, 24 de julho de 2017

domingo, 23 de julho de 2017

A preparar-me para a batalha

Imaginam o que é acordar num domingo de manhã com alguém a resmungar que não sabe das meias de jogar futebol?

resposta da mulher que eu gostaria de ser - e o que é que eu tenho que ver com isso?

resposta da mulher que eu poderei ser - se tivesses organizado a tua roupa de futebol ontem a noite, não me estavas a chatear com isso a esta hora da manhã!

a minha resposta - eu lavei toda a tua roupa de futebol, pelo que as meias têm que estar aí.

O problema é o aí. Já percebi que em todas as casas existe uma cadeira destas...


Só que aqui em casa não existe "a cadeira", existe a cama. E a cama só tem roupa lavada e por arrumar que Sr Fofinho deixa lá ficar meses e meses seguidos (mal de quem tem roupa a mais, mas isso seria outra guerra). A questão é que essa cama vai nos próximos meses sair do quarto de arrumos para integrar o quarto do bebé e eu vou substituir por um cesto de roupa lavada, para cada membro desta casa. Isto vai trazer muito drama... em primeiro lugar é preciso que ele escolha e arrume toda a roupa que está naquela cama e depois que se habitue a ter um cesto de roupa em vez de um colchão. Dá vontade de dizer - alguém quer travar esta batalha por mim?